NOTA DE REPÚDIO AO “MOMENTO DANONE”

NOTA DE REPÚDIO AO “MOMENTO DANONE” REALIZADO PELO CENTRO ACADÊMICO DE NUTRIÇÃO (CALNUT) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO (UFOP)

“O poder das multinacionais da área de alimentos é maior que o das petroleiras, são elas quem decidem, a cada dia, com a definição do preço dos alimentos, quem vai comer e viver e quem vai ter fome e morrer”.

Jean Ziegler, Sociólogo e relator da ONU.

Nós, Estudantes de Nutrição de todo o país, organizados através da Executiva Nacional dos Estudantes de Nutrição (ENEN), Centro Acadêmicos, Coletivos, Partidos Políticos e Movimentos Sociais, viemos por meio desta manifestar o nosso Repúdio a Palestra “MOMENTO DANONE” promovida pelos Centros Acadêmicos de Nutrição (CALNUT) e Ciência e Tecnologia de Alimentos (CACTA) da Universidade Federal de Ouro Preto.
Cabe-nos, enquanto estudantes e futuros profissionais da área de Alimentação e Nutrição, zelar, acima de qualquer outra premissa, pela Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional do Povo Brasileiro. Premissa que, na atividade em questão – articulada pelo CALNUT e CACTA – é encarada como segundo plano, em detrimento de conhecimentos técnicos e instrumentais para um exercício mercantilizado da profissão do Nutricionista.
É sabido que a DANONE, junto com outros grandes grupos empresariais do setor de alimentos, vê na alimentação um nicho de exploração de capital e acumulação de riquezas. Ficando a margem do processo produtivo o comprometimento com a valorização dos hábitos regionais dos povos, fator que influência direta e negativamente na Promoção da Segurança Alimentar e Nutricional, já referida
É importante que ressaltemos que Multinacionais do setor de Alimentos (sendo a DANONE uma dessas) têm interesses declarados com estudantes de Nutrição e Tecnologia de Alimentos país a fora. É nítido para o Movimento Estudantil de Nutrição (MEN) que a presença do “MOMENTO DANONE” nas Universidades Públicas, não se dá por outro motivo, senão pelo interesse de apropriação de tecnologias e abertura de futuros simpatizantes e potencias escoadores dos seus produtos. Vale lembrar que nessa discussão estamos falando de empresas, e empresas, para além de qualquer outra coisa, buscam lucro. Parece-nos que enviar um nutricionista, munido de brindes para degustação, nada mais é do que uma estratégia de marketing claramente intencionada.
Vale ainda pontuar que o setor em questão, hoje, é controlado mundialmente por apenas 10 grupos empresariais (alguém confirma a informação?), sendo – novamente- a DANONE um deles. Considerando a transição nutricional que enfrentamos nas ultimas décadas, somado a maciça inserção dos produtos dessa empresa produzidos e escoados no nosso país, nos parece nítida uma relação entre seu consumo e os problemas nutricionais do nosso povo. Assim, concluímos que é papel do Estudante de Nutrição, de Tecnologia de Alimentos e áreas afins, combater a inserção desses grupos na Universidade Pública, para os fins que se dão no momento atual, e prezar sobremaneira para a consolidação de práticas Universitárias que beneficiem o bem estar social, em suas diversas esferas.
É de extrema relevância ressaltar que nosso objetivo com essa nota não é desmerecer a atual gestão de nenhum dos Centros Acadêmicos em questão, nem de criar conflitos gratuitamente, mas sim de alertar para algo muito serio que vem acontecendo, não exclusivamente em Ouro Preto, mas na grande parte das Universidades Brasileiras, e que, nós, enquanto estudantes de Nutrição e indivíduos conscientes da responsabilidade com a construção de práticas que promovam e garantam efetivamente uma alimentação adequada e segura (no seu entendimento mais ampliado), nos sentimos no dever de emitir uma posição.
Por fim, enxergamos nesse enfrentamento inicial uma possibilidade de abertura de diálogo, tanto em nível local, com o CALNUT e CACTA, quanto em nível nacional no sentido de convocar os estudantes a se debruçar sobre o tema.
Executiva Nacional dos Estudantes de Nutrição
ENEN – Gestão 2013-2014

Anúncios

DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO CONTRA O ENADE

Fora ENADE

EXECUTIVA NACIONAL DOS ESTUDANTES DE NUTRIÇÃO
“Na Luta por Soberania, Democracia e Saúde”

RESPOSTA AO CONVITE PARA O DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO CONTRA O ENADE/SINAES

A Executiva Nacional dos Estudantes de Nutrição (ENEN) vem através desta afirmar seu apoio ao Dia Nacional de Mobilização contra o ENADE/SINAES, organizado pela ENESSO. Por entender que o exame não é um instrumento válido de avaliação, não levando em consideração os diferentes momentos históricos, mesclando alunos de diferentes períodos do curso, assim como a especificidade de cada curso, de acordo com a realidade e necessidade de cada estado.
A ENEN entende que é necessário sim um sistema avaliativo, mas que investigue de forma interna e constante a situação das instituições de ensino, uma vez que cada uma tem suas particularidades, combatendo assim a origem dos problemas. Ao contrário do que ocorre no ENADE, o qual favorece a competição entre universidades e não garante a solução das problemáticas da educação superior.
O Movimento Estudantil necessita ocupar os espaços dentro e fora da universidade para esclarecer o corpo discente a respeito do ENADE, uma vez que dentro das instituições a avaliação é tratada pelas coordenações e professores como uma forma de avaliação individual do aluno.
A ENEN percebe o boicote como uma forma de mobilizar os estudantes, lutar por nossos direito. Porém o mesmo precisa ser uma ação conjunta e esclarecida de todos os alunos para que possa alcançar seus reais objetivos.
Assim sendo, a ENEN apoia a posição da ENESSO frente ao ENADE, conforme posto no convite, entendendo da necessidade de maior esclarecimento sobre o exame nacional e sobre o real significado do boicote. Pois, muito mais que deixar de fazer uma prova é utilizar o próprio instrumento para reivindicar melhorias para o curso.

Executiva Nacional dos Estudantes de Nutrição
Gestão 2013/2014

Articulação Latino Americana IV ConAEN

Nota de saludo de la Ejecutiva Nacional de Estudiantes de Nutrición

La Ejecutiva Nacional de Estudiantes de Nutrición de Brasil viene, por la presente, a saludar las compañeras y compañeros de Argentina, apoyar y contemplar la realización del ConAEN 2013 – San Luís.
Empezamos esta gran articulación latina em la transición del año 2011 para 2012, y desde entonces, observamos la gran evolución del Movimiento Estudiantil de Nutrición en Argentina, siempre contando con la presencia de las compañeras y compañeros en nuestros Foros.
Reconociendo que el proceso de articulación latina necesita fortalecerse y reorganizarse, empezamos a reforzar esta pauta en nuestra agenda y estrechar los vinculos com el Movimiento Estudiantil de Nutrición en América Latina, a fin de retomar el objetivo de organizar un Encuentro Latino Americano de Estudiantes de Nutrición.
Actualmente el Movimiento Estudiantil de Nutrición en Brasil pasa por profunda reorganización, desde el ambito mas administrativo/operacional hasta la reformulación de sus líneas estratégicas de acción.
Estamos articulandonos, cada vez más, con entidades profesionales, haciendonos presentes en foros nacionales de discusión de nuestra formación (como ocurrió recientemente – Encuentro Nacional de Formación Profesional – organizado por el Consejo Federal de Nutricionistas), con sindicatos, consejos regionales y federales de nutricionistas, asociaciones de nutrición, coordinadores de cursos y representantes del govierno.
La actual gestión se propone fortalecer el trabajo de base en torno del eje de formación: “Formación en Salud”, “Educación y Universidad”, “Seguridad Alimentar y Nutricional” y “Combate a las opresiones”. Como bandera y estrategia de acción prioritaria centramos en el fortalecimiento de la Atención Basica en el Sistema Unico de Salud (SUS), luchando por más financiación para la salud, reforzando  la salud como derecho de todas y todos, por mayor inserción de equipos multiprofesionales en los servicios de salud y por la formación de recursos humanos para atender las necesidades de la población y operacionalizar el SUS, efectuando de esta manera, nuestra función como profesionales de salud en formación.
Por lo cual, proponemos la reconstrucción del comité latino americano del movimiento estudiantil de nutrición y sugerimos que en el ConAEN encaminen delegadas e delegados para o fortalecimiento de esta articulación, de forma a buscarmos representantes de otros paises y organizarnos para la construcción del I Encuentro Latino Americano de Estudiantes de Nutrición.
Agradecemos a todas y todos, aguardamos contacto y les deseamos un excelente congreso, seguros de que la acumulación de experiencias aportadas tendran un gran valor para el movimiento de nutrición en Argentina y en America Latina.

Atentos saludos,

Executiva Nacional dos Estudantes de Nutrição
Gestão 2013/2014

Nota de Esclarecimento sobre a Plenária Final do XXX ENENUT

Nota de esclarecimento as/aos estudantes do curso de
Nutrição de todo o país

Os estudantes que participaram da antiga gestão (2012-2013) e compõe
a nova gestão (2013-2014) da Executiva Nacional dos Estudantes de Nutrição
(ENEN), vem, por meio desta nota, esclarecer os lamentáveis posicionamentos
que foram colocados na plenária final com relação à gestão anterior, assim
como, ao processo de construção do ENENUT 2013 e da construção da nova
chapa eleita na própria plenária. Nós somos contra as colocações que foram
realizadas com a intenção de desprezar o debate político, às acusações de
erros que, em sua maioria, não foram negados enquanto estávamos à frente da
entidade e outras acusações que não tinham razão de serem colocadas, ainda
mais porque foram expostas por pessoas que compuseram a gestão (2012 –
2013), que estava sendo acusada.
O processo de construção de um fórum do Movimento Estudantil de
Nutrição organizado em sua entidade de representação “Executiva Nacional
dos Estudantes de Nutrição” é contínuo, herdando elementos que precedem tal
espaço, provindo de fóruns anteriores da ENEN, passando pela concepção,
debate e construção coletiva dos eixos temáticos norteadores do fórum. Após
toda uma construção coletiva anterior, a organização mais estrutural e prática
do fórum é operacionalizada por membros do MEN e da Gestão da ENEN que
se encontram na cidade sede do atual fórum.
Esse fato vem provocando uma crise de identidade por parte dos
membros da sede do fórum, de modo a não reconhecer a ENEN como a
entidade que organiza os eventos, esquecendo toda a construção coletiva
anterior à organização estrutural local, que só poderá ser realizado pela
comissão local e, dificilmente, por membros da gestão da ENEN que vivem em
outros estados do país. Dito fato foi evidenciado em alguns fóruns nos últimos
2 anos e, recentemente, na organização do XXX Encontro Nacional dos
Estudantes de Nutrição, ocorrido em Goiânia, no período de 11 a 17 de Agosto
de 2013, provocando um descontentamento de membros da própria gestão que
faziam parte da sede do encontro e que alegaram a falta de envolvimento da
gestão da ENEN na organização do mesmo.
Tal situação culminou, dentro do XXX ENENUT, na formação de duas
chapas que disputaram a Gestão da ENEN 2013-2014. A Chapa 1 (agora, atual
gestão), composta por alguns membros da antiga gestão da ENEN junto aos
representantes de escolas de todas as regiões que se dispuseram a construir a
entidade, configuraram uma unidade construída coletivamente, com propostas
bem delineadas e concretas (conforme foram apresentadas na plenária final do
XXX ENENUT), aproveitando dos erros de organização – reconhecidos pela
própria gestão anterior – para construir uma entidade mais orgânica e que
represente a todos os/as estudantes de nutrição do Brasil.
A Chapa 2, composta por outra parte da gestão anterior que fazia parte
da sede do encontro somado à representantes de outras escolas se
apresentaram à plenária como chapa de oposição a atual gestão . Os
argumentos utilizados na criação da mesma cerceavam-se à críticas a gestão
anterior afirmando que esta foi uma gestão homogênea, sem divergências,
direcionada por ex-membros da ENEN, sem autonomia e que não reconhecia
entidades de representação dos profissionais de nutrição como o Conselho
Federal de Nutricionistas.
Esclarecendo tais afirmações, a gestão da ENEN 2012-2013,
primeiramente, rechaça informações caluniosas e vem trazer a veracidade dos
fatos. Na composição da gestão 2012-2013 estavam presentes representantes
dos centros acadêmicos que compuseram a chapa de oposição sendo esses
diretores tão responsáveis quanto os demais pelas atividades da executiva e
que estiveram muito ativos visto que sediaram o ENENUT 2013 e mantiveram
pleno relacionamento em nome da ENEN com as entidades da categoria como
CFN, CRN e sindicados assim como os EX- MEN que foram convidados para
participar ativamente do encontro comemorativo.
Não houve gestão homogênea e sem divergências, a prova disso é o
“racha” que ocorreu dentro da própria entidade; sempre existiram esforços para
uma construção coletiva; não houve direcionamento da entidade por exmembros
da ENEN e a gestão gozou de autonomia por não depender de
nenhuma outra entidade ou força política. Entretanto, houveram confusões por
parte de membros da gestão que, ao compor a chapa de oposição alegaram
terem sido pressionados por forças configuradas na figuras de ex-membros da
ENEN para direcionar a organização do encontro, atribuindo esse fato à falta
de autonomia da gestão como um todo. A gestão anterior reconhecia as
entidades de representação dos nutricionistas citadas, como o Conselho
Federal de Nutricionistas, e sempre buscou uma construção conjunta sem
perder sua autonomia desde a abertura de contato na construção do XIX
ENENUT e do V ENAEN, atividades que abriram o diálogo e a possibilidade de
dar seguimento à construção conjunta no XXX ENENUT em Goiás confirmando
a ausência de problemas concretos entre a gestão da ENEN e a atual gestão
do CFN quando se trata de projetos políticos e pautas que favorecem o diálogo
entre as entidades.
Cientes da necessidade de esclarecer tal situação e do compromisso
que temos com nossa base, publicamos essa nota e nela estamos incluindo o
destaque da importância de todo o processo ocorrido para o amadurecimento
político dos participantes, reconhecimento dos erros e impulsionamento do
Movimento Estudantil de Nutrição na Luta por soberania, democracia e
saúde!

Campanha pela inserção do profissional Nutricionista na Equipe de Saúde da Família

Pela garantia do direito humano à saúde: A necessidade

do nutricionista por respaldos legais e lógicos

Considerando a alimentação, bioquímica e fisiologicamente, adequada como sendo imprescindível no processo de crescimento e desenvolvimento de um organismo humano saudável;

Considerando a situação de saúde da população em seu contexto atual, onde a prevalência de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis atinge grande parte da sociedade, decorrente de estilos de vida que contribuem para a instalação desse quadro epidemiológico, tendo a alimentação como uma das principais causas desse processo;

Considerando o objetivo dos instrumentos legais de respaldo e direcionamento das Políticas Públicas de Saúde como a Política Nacional de Atenção Básica em Saúde, Política Nacional de Promoção da Saúde, Política Nacional de Alimentação e Nutrição, Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e o Direito Humano à alimentação adequada, onde põe como imprescindível no desenvolvimento de ações de alimentação e saúde na atenção à saúde da população;

Considerando a necessidade da estratégia de reorientação do modelo assistencial em saúde, Estratégia de Saúde da Família, formulada e implementada pelo governo a partir de 1994, que organiza a atenção à saúde por meio de equipes multidisciplinares em Unidades Básicas de Saúde, para desenvolver ações de promoção, recuperação, manutenção e reabilitação da saúde e prevenção de doenças e agravos da comunidade;

Considerando os objetivos e diretrizes do Programa de reorientação da formação do profissional de saúde (PRÓ-SAÚDE), que apontam a necessidade da formação se voltar, prioritariamente, para a Atenção Básica à saúde através da integração ensino-serviço, de modo à formar profissionais que saibam atender as necessidades reais da população e à operacionalização do Sistema Único de Saúde, cumprindo os objetivos do Pacto pela Saúde;

Considerando que a atenção plena à saúde só poderá ser realizada de maneira integralizada no âmbito das ações interdisciplinares dos diferentes profissionais de saúde;

Considerando o direito humano à saúde, constitucionalmente garantido, e a obrigação do estado na sua garantia;

Considerando o compromisso que os gestores de saúde têm com a saúde da população, e o Pacto pela Saúde firmado para garantir esse direito humano;

Considerando que o Nutricionista é o profissional de saúde tecnicamente capacitado para desenvolver ações de promoção, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos, e manutenção da saúde da comunidade através dos conhecimentos sobre alimentação e nutrição;

Faz-se necessária a ampliação do espaço desse profissional na rede pública de serviços de saúde, através da obrigatoriedade de sua inserção na equipe mínima da atenção básica em saúde, a fim de que se cumpram os objetivos dos, já citados, programas, leis, estratégias e políticas, e garanta o acesso da população brasileira a um sistema público de saúde verdadeiramente universal, gratuito, equânime e de qualidade.

 

 por Arthur Grangeiro

Executiva Nacional dos Estudantes de Nutrição

ENEN – 2013-2014